Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://bdm.ufmt.br/handle/1/686
Tipo documento: Trabalho de Conclusão de Curso
Título: Ganho e retenção de peso no pós-parto e na lactação em ratas submetidas à restrição proteica durante a vida intrauterina e a lactação
Autor(es): Silva, Regiane do Espírito Santo da
Orientador(a): Latorraca, Márcia Queiroz
Membro da Banca: Latorraca, Márcia Queiroz
Membro da Banca: Arantes, Vanessa Cristina
Membro da Banca: Reis, Marise Auxiliadora de Barros
Resumo : A obesidade é um problema de saúde pública mundial, devido a sua elevada e crescente prevalência. Diversos estudos mostraram uma associação entre peso ao nascer e na infância e obesidade na vida adulta. Sabe-se que o peso ao nascer e na infância depende da nutrição materna. A gestação e os primeiros meses após o parto também têm sido considerados momentos de risco na vida da mulher, devido à exposição a fatores que podem levar ao desencadeamento da obesidade, entre os quais a retenção de peso após o parto. Assim, o presente estudo teve o objetivo de avaliar se a restrição proteica durante a vida intrauterina e a lactação contribui para o ganho e retenção de peso no pós-parto e na lactação. Foram avaliados três grupos de ratas: Grupo Controle Prenhe1 (CP1): descendentes nascidas e amamentadas por mães alimentadas com dieta normoproteica (17% de proteína) e mantidas com a mesma dieta do desmame até a lactação. Grupo Hipoproteico Prenhe1 (HPP1): descendentes nascidas e amamentadas por mães alimentadas com dieta hipoproteica (6% de proteína) e mantidas com a mesma dieta do desmame até a lactação. Grupo Recuperado Prenhe1 (RP1): prole de mães alimentadas com dieta hipoproteica durante prenhez e lactação, que foram alimentados com dieta normoprteica do desmame do desmame até a lactação. O peso corporal, o comprimento parcial, o IMC e a concentração de albumina sérica ao nascer foram similares nos três grupos. Ao desmame, o peso corporal, o comprimento parcial, o IMC, a glicemia e a albuminemia foram similares nos grupos submetidos à restrição proteica durante a lactação esse grupos exibiram parâmetros somáticos e bioquímicos menores em relação ao grupo mantido com dieta normoproteica. Aos 90 dias de vida, os grupos recuperado e hipoproteico tiveram pesos corporais médios 27% e 62% menores em relação ao das ratas do grupo controle, respectivamente. A taxa de ganho de peso do grupo recuperado foi significativamente maior que os demais grupos em todos os tempos. O grupo hipoproteico apresentou taxa de ganho de peso similar ao grupo controle apenas nas duas primeiras semanas, sendo posteriormente a taxa significativamente maior no primeiro grupo em relação ao segundo. Durante a prenhez o consumo alimentar foi maior no grupo RP1 em relação aos grupos C1 e HPP1. O ganho de peso não diferiu entre os grupos, mas o peso final do grupo RP1 foi maior em relação ao grupo HPP1, mas menor em comparação ao grupo CP1. A retenção de peso no pós-parto e o consumo alimentar durante a lactação foram similares nos grupos RP1 e CP1, sendo estas variáveis maiores nesses grupos em relação ao grupo HPP1. Na lactação, os grupos RP1 e HPP1 apresentaram variação de peso similar, sendo essa variável significativamente diferente em relação ao grupo CP1. Os grupos RP1 e HPP1 ganharam peso, enquanto o grupo CP1 apresentou perda de peso durante a lactação. Entretanto, os grupos RP1 e HPP1 tiveram pesos corporais menores no final da lactação menores em relação ao grupo CP1. Assim, a restrição proteica durante os períodos críticos do desenvolvimento contribuiu para o a retenção de peso na lactação, porém não o suficiente para promover obesidade.
Resumo em lingua estrangeira: Obesity is a worldwide public health problem due to its high and increasing prevalence. Several studies have shown an association between birth and childhood weight and obesity in adulthood. It is known that birth and childhood weight depend on maternal nutrition. Gestation and the first few months after childbirth have also been considered risky moments in a woman's life, due to exposure to risks for the development of obesity, including postpartum weight retention. Thus, the present study aimed to evaluate if protein restriction during intrauterine life and lactation contributes to weight gain and retention in postpartum and lactation. Three groups of rats were evaluated: Control Pregnant Group1 (CP1): offspring born and breastfed by mothers fed a normoprotein diet (17% protein) and maintained on the same diet from weaning to lactation. Hippoprotein Pregnant Group1 (HPP1): offspring born and breastfed by mothers fed a hypoprotein diet (6% protein) and maintained on the same diet from weaning to lactation. Retrieved Pregnant Group1 (PR1): Progeny of mothers fed a hypoprotein diet during pregnancy and lactation, who were fed a normoprideic diet from weaning to lactation. Body weight, partial length, BMI, and serum albumin concentration at burn were similar in all three groups. At weaning, body weight, partial length, BMI, glycemia and albuminemia were similar in the groups submitted to protein restriction during lactation, these groups had lower somatic and biochemical parameters than the group maintained on a normoprotein diet. At 90 days of age, the recovered and hypoproteic groups had mean body weights 27% and 62% lower than the control group rats, respectively. The weight gain rate of the recovered group was significantly higher than the other groups at all times. The hypoproteic group presented a similar weight gain rate to the control group only in the first two weeks, being later the rate significantly higher in the first group in relation to the second group. During pregnancy, food intake was higher in the RP1 group than in the CP1 and HPP1 groups. The weight gain did not differ between groups, but the final weight of the RP1 group was higher in relation to the HPP1 group, but lower in comparison to the CP1 group. Postpartum weight balancing and food consumption during lactation were similar in the RP1 and CP1 groups, being these variables higher in these groups in relation to the HPP1 group. In the lactation, the groups RP1 and HPP1 presented similar weight variation, being this variable significantly different in relation to the group CP1. The RP1 and HPP1 groups gained weight, while the CP1 group presented weight loss during lactation. However, the RP1 and HPP1 groups had lower body weights at the end of lactation than the CP1 group. Thus, protein restriction during critical periods of development contributed to weight retention in lactation, but not enough to promote obesity.
Palavra-chave: Prenhez
Pós parto
Retenção de peso
Palavra-chave em lingua estrangeira: Pregnancy
Postpartum
Weight retention
CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::NUTRICAO
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Federal de Mato Grosso
Sigla da instituição: UFMT CUC - Cuiabá
Departamento: Faculdade de Nutrição (FANUT)
Programa: Nutrição - CUC
Referência: SILVA, Regiane do Espírito Santo da. Ganho e retenção de peso no pós-parto e na lactação em ratas submetidas à restrição proteica durante a vida intrauterina e a lactação. 2018. 36 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Nutrição) – Universidade Federal de Mato Grosso, Faculdade de Nutrição, Cuiabá, 2018.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://bdm.ufmt.br/handle/1/686
Data defesa documento: 5-Oct-2018
Aparece na(s) coleção(ções):Nutrição - Bacharelado

Arquivos deste item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TCC_2018_Regiane do Espírito Santo da Silva.pdf557.33 kBAdobe PDFVer/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.